quarta-feira, 27 de novembro de 2013

* Diário de um bom malandro * # 7#


O meu concerto preferido de 2013...que me lembre...









terça-feira, 26 de novembro de 2013

POR ESTAS BANDAS #17 - ORNATOS VIOLETA - 23/11/13 - CLUBE MEGAHERTZ - RCP FM 92.6












quarta-feira, 13 de novembro de 2013

POR ESTAS BANDAS #15 - CLÃ - 09/11/13 - CLUBE MEGAHERTZ - RCP FM 92.6









Por Estas Bandas emissão 15 Clã by Carlos Cunha on Grooveshark                                                                                                                                                                                                                                                                        





terça-feira, 30 de julho de 2013

sábado, 29 de junho de 2013

DIABO(S) NA CRUZ!


Cada vez acho mais que, mais do que andar sempre a reviver aquilo que já vivemos 1000 vezes, o caminho principal faz-se olhando em frente e procurar novos caminhos que nos tragam novas sensações e nos inspirem de uma outra maneira.... Falo, neste caso, nos nossos "Heróis"...na música, essa é uma das minhas premissas de evolução, a par da abertura a novas tendências e abolição dos preconceitos (isso mesmo, os pré-conceitos).... 


Ora bem, um dos meus "Heróis" é o Diabo na Cruz! Vou celebrá-los HOJE, porque é HOJE que eles estão vivos e andam por aí! 


Cumprimentos 




domingo, 23 de junho de 2013

* Diário de um bom malandro * # 6 #

PASTÉIS DE BELÉM

O Miguel incitou à prática do comboio humano feito serpente na relva. Sim, comboio, porque nem sempre se pode andar de avião, e com esta crise, nem sequer chamar alguém para ir vê-los. Nem vê-los... O Paulo convidou um dos mestres e até se chegou à frente, qual pastor (sem cajado) a pregar rosas e espinhos. Em baixo, atónitos, os primeiros raios de sol da tarde especaram as caras no palco e talvez se perguntassem quem era tão estranha figura. Mal sabem eles que não viram nada! Mal sabem eles! Talvez tenha ficado apenas adiado para outros carnavais, em ambiente quem sabe mais aconchegante. Eu gostava que fosse assim. Um gang diabólico, que por vezes fica sem gasosa, ou tempo de antena.... num país em que "nunca ouvi falar"...Poucos, mas bons, costuma ser dito. Sim, é verdade, poucos, mas bons....mas poucos...e poucos..são poucos....porque se não fossem poucos, seriam no mínimo, suficientes...

A menina da saia rodada cresceu, e virou mulher...ou será que já o era antes? Será dos meus olhos? A verdade é que a Zara está por todo o lado, e a gula também. Mas pelo menos crescida está, isso não há dúvidas. E bem crescida, dirão alguns... Mistura a guitarra com o tambor e abana a anca. Abana a anca.....abana, abana, porque isto, está mais que visto, que já não anda....

continua.....

sábado, 4 de maio de 2013

* Diário de um bom malandro * # 5 #

É fantástico o efeito que pode provocar em nós uma música, uma banda, um movimento musical, que outrora não nos impressionou por aí além.
Os Resistência tiveram o seu auge em 91-92. Nos meus ouvidos, brilharam apenas em 2013. Foi quando eu lhes dediquei tempo e me senti motivado para os escutar. Não apenas ouvir. Algo me diz, que este ano lhes vou dedicar mais tempo ainda, e que nos vamos encontrar mais alguma vezes.

No Sábado, dia 27, fui vê-los. Foi por sorte, literalmente. O Coliseu do Porto voltou a ser talismã e a sexta fila da plateia, ouro sobre azul. 2h30m depois, sentia-me como aquele trintão que recordou momentos passados ao som daquelas canções, e mais ainda, daquele imaginário criado pelas mesmas. Não era o caso, mas parecia. Estavam lá muitos deles e eu, por essas 2h30m fui um deles. Fui o tal trintão, mas aos 20 e muitos. Aposto que daqui a 15 anos me vou lembrar deste concerto e vou dizer qualquer coisa como: E quando eu fui ver os Resistência ao Porto? Lembro-me bem, já era trintão!! Adoro ser conquistado por uma banda, ao vivo. Aconteceu mais (do que) uma vez.

Não gosto de ser chato.... Mais tarde, encontrei alguns dos Resistência num bar. Fui dar-lhes os parabéns. Da minha boca só consegui tirar uns míseros "Excelente concerto!" e "Um abraço!". Chegou. Penso que, pelo menos o Miguel Ângelo e o Olavo, estariam prontos a trocar um dúzia de palavras, mas não tiveram essa "sorte". Não gosto de ser chato....e retirei-me com a mesma rapidez com que os abordei. É próprio dos "reservados" (não necessariamente significando "Reserva" como nos vinhos, mas posso assumir o cargo, se for preciso).

Dessa noite, ficam as imagens, as sensações e as canções. E é o que basta.
Afinal, não é isso que realmente importa na música?
Em Cantanhede, a 31 de Julho, pode ser épico... depois não digam que eu não avisei...

P.S.: A cultura, como tantas outras coisas, é, mais que importante, urgente.
        É preciso avançar, porque amanhã pode ser longe demais...


       

domingo, 24 de março de 2013

* Diário de um bom malandro * # 4 #

 
Mais do que falar em estilos musicais, galgados e espremidos, ficam-me das já centenas de concertos, imagens, cheiros, momentos, sensações e.... vozes.... Esta, recente, foi das que mais me marcou.... Nunca mais serei um adepto do Flamenco, mas vivi-o por duas horas.... E que bonito que foi.... Diego El Cigala






quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

* Diário de um bom malandro * # 3 #


Depois da epopeia carnavalesca, nada melhor que uns dias em casa, a saborear o conforto do lar. Quer dizer, se houvesse um pouco mais de dinheiro, pensava-se em outros voos.... enfim, como alguém disse há uns dias, férias à pelintra também são férias, e aproveitá-las sem dramatizar, aproveitando para avançar noutras direcções....não deixa de ser muito rock and roll....

Continuo sem saber quem levou o caneco do Carnaval 2013, e não consegui encontrar ninguém a quem perguntar. Bem, pelo menos no Facebook.... Por enquanto, apenas suspeito que tenho a certeza de quem não ganhou.......

É sempre bom juntarmos uma série de coisas ao pé de nós, daquelas que nos fazem bem, nos estimulam, e passar tempo com elas, usá-las, explorá-las. Imaginem a seguinte fórmula: 1 cobertor + Livro Amália - Autobiografia + disco "Holy Fire" dos Foals e também algumas canções de Father John Misty + transmissão em directo pela Antena 3 do concerto de Nick Cave and The Bad Seeds em Berlim, de apresentação de "Push the sky away" + um cházinho quentinho de camomila + uma pitada de futebol na televisão, Real Madrid vs Manchester United + alguns cafés (opcional).

Nada mau...E tudo isto funciona como um aconchego, um exemplo de "dia completo", ou "dia em cheio", embora se pudessem inumerar variadíssimos outros exemplos...


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

* Diário de um bom malandro * # 2 #


Claro que a vida não é só feita de rockalhadas, e embora o Carnaval seja oficialmente só Domingo e Terça, oficiosamente ele já cá está. E isso não deixa de ser uma boa notícia, mesmo para mim, que não lido bem com doses industriais de batucadas. Mas o que é certo, é que aprecio ver muita gente na rua. E isso agrada-me. Esta é a altura em que (quase) todos aparecem, mesmo aqueles em quem só pomos os olhos em cima nos dias e noites de Carnaval, de sexta a terça, e que, talvez por isso, pensamos quase sempre estarem mais gordos, ou mais magros, ou diferentes, simplesmente. A verdade, pelo menos para mim, é que no resto do ano, com raras excepções, a movida da minha terrinha não alimenta muito nem estimula o coração e a cabeça destas mesmas pessoas, para que apareçam regularmente. Mas pronto, há quem diga que é só por causa da falta de dinheiro....São opiniões....

Mas aí está, a música a unir o povo....e a fazê-lo sair à rua...

Enfim, o que interessa é que o Carnaval está na cidade. Vamos celebrá-lo....cada um à sua maneira...

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

* Diário de um bom malandro * # 1 #

Há uns tempos fui beber um copo com um amigo, a um sítio muito frequentado aqui na terra. Nada de novo. Aliás, nada mesmo... Muita gente, a "loucura" completa (ou talvez não), corpos abanando-se ao som da "conversa de sempre" (não gosto de referir nomes, muito menos Samba e  Kizomba).

Até que, a certa altura, reparei que se encontrava na sala um sujeito caricato, completamante embriagado. Ao ver que olhava para ele, o sujeito dirigiu-se para perto de mim. Pensei logo "este gajo quer conversa", mas mantive-me no mesmo sítio. O fulano chega-se ao pé de mim e grita-me ao ouvido: "Que merda é esta? Onde é que está o Roquenrole! Não há Roquenrole nesta terra?"

Já não me lembro o que lhe respondi, mas o que é certo é que dei por mim a pensar que já por diversas vezes tinha feito a mim mesmo e a mais alguém essa mesma interrogação.... e esta situação veio mostrar-me como por vezes, mesmo alguém que parece não estar na posse das suas totais faculdades, consegue ver uma coisa que parece passar ao lado de muita gente...